Universidades em Portugal

os Melhores Universidades em Portugal 2017

Nesta página você pode procurar por universidades, faculdades e escolas de negócios na Portugal. Você vai encontrar facilmente todas as informações sobre as melhores universidades classificadas na Portugal. Clique em "Leia mais " para uma descrição detalhada da universidade e uma visão geral dos programas de estudo oferecidas.

Encontre universidades na Portugal e navegar através de seus programas para encontrar os que mais lhe agradam. Obter todas as informações sobre as várias opções de estudo na Portugal e comparar as propinas e comprimento de estudo. Você pode economizar tempo e universidades contato diretamente na Portugal: preencher o "Pedido de informação livre " formulário, que vai colocá-lo em contato com o escritório de admissões.

Iniciar a pesquisa para a sua educação futura de imediato!

15 Resultados em Portugal

Universidade do Minho - Escola de Engenharia

Doutoramento Portugal Guimarães Braga September 2016

A Escola de Engenharia desenvolve atividades em áreas tradicionais de Engenharia, assim como em áreas emergentes e únicas a nível nacional, com uma forte componente de investigação, excelência dos seus projetos de ensino, internacionalização e interação com a sociedade, apoiada por um corpo de mais de 300 docentes, todos doutorados, cerca de 400 investigadores integrados e um corpo de mais de 90 técnicos e administrativos. Ao nível da investigação, salienta-se a relevância d… [+] os seus 11 Centros de Investigação, 70% classificados com Muito Bom ou Excelente, com reconhecimento a nível internacional, através de vários prémios atribuídos aos seus docentes e investigadores, assim como importantes parcerias de investigação com instituições universitárias nacionais e internacionais. Destaca-se a colaboração com o MIT, a Carnegie Mellon University e a University of Texas at Austin, ao abrigo dos Programas Portugal_MIT e Portugal_CMU/AT. Os projetos de ensino têm uma procura muito elevada a nível nacional e internacional através de programas de Mobilidade Internacional, nomeadamente Erasmus Mundus, com cerca de 6.000 alunos dos diferentes ciclos de estudo, dos quais cerca de 700 do 3º ciclo. Esta é uma Escola para a Sociedade, onde a relevância da sua atividade é patente através de numerosas parcerias com o tecido empresarial nacional e internacional. [-]


Universidade do Minho - Escola de Economia e Gestão

Master Portugal Braga September 2016

Escola de Economia e Gestão - EEG A EEG oferece 8 cursos de licenciatura, 4 dos quais em regime pós-laboral, 18 cursos de mestrado e 6 cursos de doutoramento, 3 dos quais em colaboração com outras universidades. O número total de alunos é 2430, dos quais 1351 são alunos de licenciatura, 918 de mestrado e 161 de doutoramento. 20% dos alunos de licenciatura participam em programas de mobilidade internacional. 70 alunos estrangeiros frequentam as nossas licenciaturas, que of… [+] erecem 30 unidades curriculares lecionadas em língua inglesa. A EEG tem 27 cursos de formação especializada criados e 4 cursos de Alta Direção para a Administração Pública. A EEG tem 8 subunidades: 3 departamentos e 5 centros de investigação. 3 desses centros obtiveram classificação máxima de Excelente atribuída pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. Nos nossos domínios científicos, no resto do país, apenas existem mais cinco centros de investigação com a mesma avaliação. O número total de docentes é de 124, sendo que 86 são de carreira -- 76 dos quais doutorados -- e 38 convidados. Os investigadores integrados nos 5 centros são 102, dos quais, 44 pertencem a outras instituições. A maioria dos nossos investigadores são doutorados em universidades europeias e norte-americanas tão diversas como as Universidades de Oxford, Warwick, Lancaster, Essex, Manchester, Nottingham, Cornell, Estocolmo, London School of Economics, Instituto de Tinbergen ou Instituto Universitário Europeu.     Programas de Doutoramento No ano letivo de 2012/2013, a Escola de Economia e Gestão oferece 6 cursos de doutoramento: Ciências da Administração, Ciências Empresariais, Ciência Política e Relações Internacionais, Contabilidade, Economia e Marketing e Estratégia. 
A oferta de cursos de Doutoramento da EEG reflete as suas competências científicas. A aposta na formação do seu corpo docente em universidades europeias e norte-americanas tão diversas como Oxford University, University of Warwick, Lancaster University, University of Essex, Cornell University, Stockholm School of Economics, London School of Economics, Tinbergen Institute ou Instituto Europeu de Florença posicionou a EEG num lugar cimeiro na investigação em Portugal, com 3 centros de investigação com a classificação máxima de Excelente. Assim, a prossecução de um doutoramento na EEG é a garantia de obtenção de um grau de elevado reconhecimento nacional e internacional. 
Em três dos doutoramentos, a EEG colabora com outras universidades portuguesas. O doutoramento em Economia resulta de uma parceria com a Universidade de Coimbra; o doutoramento em Contabilidade com a Universidade de Aveiro e o doutoramento em Marketing e Estratégia, com as Universidades de Aveiro e da Beira Interior. [-]


Universidade de Évora

Master Portugal Évora October 2017

Missão A Universidade de Évora é uma das universidades do sistema de ensino superior público português e, por conseguinte, tem por missão A produção de conhecimento através da investigação científica e artística, a experimentação e o desenvolvimento tecnológico e humanístico; A socialização do conhecimento, proporcionando à população estudantil tradicional bem como à população laboral, a qualificação académica através de cursos de licenciatura, mestrado e … [+] doutoramento, de cursos de formação ad hoc e da formação informal ao longo da vida; A transmissão do conhecimento à comunidade com vista à inovação e à competitividade empresarial, bem como à modernização dos serviços públicos e ao desenvolvimento social e cultural da comunidade no seu todo; Visão A Universidade de Évora perspectiva-se relativamente à Região em que se insere, o Alentejo, elegendo-a como alvo preferencial do seu esforço de socialização do conhecimento, à Europa comunitária com a qual partilha idênticos valores humanos, culturais e científicos, às regiões vizinhas com as quais prioritariamente estabelecerá parcerias estratégicas, e aos países lusófonos aos quais procurará estender a sua missão, não esquecendo, ao mesmo tempo, que a preparação dos estudantes deve, sempre, ter em consideração o “mundo” global em que hoje vivemos. Valores A Universidade de Évora adopta o princípio do livre exame, tal como o definiu Henri Poincaré, na prossecução das tarefas que decorrem da sua missão “o pensamento não se deve submeter nem a um dogma, nem a um partido, nem a uma paixão, nem a um interesse, nem a uma ideia pré-concebida, nem a qualquer outra coisa que não seja a si próprio, visto que, submeter-se, seria o mesmo que deixar de existir ” São ainda valores intrínsecos da Universidade de Évora: O respeito pela dignidade humana; A liberdade académica; O mérito individual; O rigor na execução de quaisquer tarefas; A democraticidade subjacente à decisão; A ausência de discriminação social, étnica ou confessional. BREVE HISTÓRIA DA UÉ A Universidade de Évora foi a segunda universidade a ser fundada em Portugal. Após a fundação da Universidade de Coimbra, em 1537, fez-se sentir a necessidade de uma outra universidade que servisse o sul do país. Évora, metrópole eclesiástica e residência temporária da Corte, surgiu desde logo como a cidade mais indicada. Ainda que a ideia original de criação da segunda universidade do Reino, tenha pertencido a D. João III, coube ao Cardeal D. Henrique a sua concretização. Interessado nas questões de ensino, começou por fundar o Colégio do Espírito Santo, confiando-o à então recentemente fundada Companhia de Jesus. Ainda as obras do edifício decorriam e já o Cardeal solicitava de Roma a transformação do Colégio em Universidade plena. Com a anuência do Papa Paulo IV, expressa na bula Cum a nobis de Abril de 1559, foi criada a nova Universidade, com direito a leccionar todas as matérias, excepto a Medicina, o Direito Civil e a parte contenciosa do Direito Canónico. A inauguração solene decorreu no dia 1 de Novembro desse mesmo ano. Ainda hoje, neste dia se comemora o aniversário da Universidade, com a cerimónia da abertura solene do ano académico. As principais matérias ensinadas eram Filosofia, Moral, Escritura, Teologia Especulativa, Retórica, Gramática e Humanidades, o que insere plenamente esta Universidade no quadro tradicional contra-reformista das instituições católicas europeias do ensino superior, grande parte das quais, aliás, controladas pelos jesuítas. No reinado de D. Pedro II, viria a ser introduzido o ensino das Matemáticas, abrangendo matérias tão variadas, como a Geografia, a Física, ou a Arquitectura Militar. O prestígio da Universidade de Évora durante os dois séculos da sua primeira fase de existência confundiu-se com o prestígio e o valor científico dos seus docentes. A ela estiveram ligados nomes relevantes da cultura portuguesa e espanhola, dos quais importa ressaltar, em primeira linha, Luis de Molina, Teólogo e moralista de criatividade e renome europeu. Em Évora, foi doutorado um outro luminar da cultura ibérica desse tempo, o jesuíta Francisco Suárez, depois professor na Universidade de Coimbra. Aqui ensinou durante algum tempo Pedro da Fonseca, considerado o mais importante filósofo português quinhentista, célebre pelo esforço de renovação neo-escolástica do pensamento aristotélico. Apesar das tentativas de modernização e abertura ao novo espírito científico, que caracterizam a Universidade setecentista, há que reconhecer, contudo, que, a exemplo da sua irmã mais velha de Coimbra, o seu esforço não se traduziu numa efectiva abertura dos espíritos às necessidades dos tempos novos. Não obstante o alto valor individual de numerosos docentes, o sistema de ensino como um todo, revelou-se desajustado e antiquado. Évora participou, assim, na tendência global de virar costas à Europa transpirenaica, que caracterizou a generalidade das elites e instituições culturais ibéricas do Antigo Regime. Quando a conjuntura política e cultural de meados do século XVIII se começou a revelar hostil aos jesuítas, não admira que a Universidade de Évora se tenha facilmente transformado um alvo da política reformadora e centralista de Pombal. Em 8 de Fevereiro de 1759 - duzentos anos após a fundação - a Universidade foi cercada por tropas de cavalaria, em consequência do decreto de expulsão e banimento dos jesuítas. Após largo tempo de reclusão debaixo de armas, os mestres acabaram por ser levados para Lisboa, onde muitos foram encarcerados no tristemente célebre Forte da Junqueira. Outros foram sumariamente deportados para os Estados Pontifícios. A partir da Segunda metade do século XIX, instalou-se no nobre edifício henriquino o Liceu de Évora, ao qual a rainha Dona Maria II concedeu a prerrogativa do uso de "capa e batina", em atenção à tradição universitária da cidade e do edifício. Em 1973, por decreto do então ministro da Educação, José Veiga Simão, foi criado o Instituto Universitário de Évora que viria a ser extinto em 1979, para dar lugar à nova Universidade de Évora. ESCOLAS, IIFA E DEPARTAMENTOS As Escolas, compostas por Departamentos e o Instituto de Investigação e Formação Avançada são Unidades Orgânicas da Universidade Escola de Artes Departamento de Arquitectura Departamento de Artes Cénicas Departamento de Artes Visuais e Design Departamento de Música Escola de Ciências e Tecnologia Departamento de Biologia Departamento de Desporto e Saúde Departamento de Engenharia Rural Departamento de Física Departamento de Fitotecnia Departamento de Geociências Departamento de Informática Departamento de Matemática Departamento de Medicina Veterinária Departamento de Paisagem, Ambiente e Ordenamento Departamento de Química Departamento de Zootecnia Escola de Ciências Sociais Departamento de Economia Departamento de Filosofia Departamento de Gestão Departamento de História Departamento de Linguística e Literaturas Departamento de Pedagogia e Educação Departamento de Psicologia Departamento de Sociologia Escola Superior de Enfermagem S. João de Deus Departamento de Enfermagem Instituto de Investigação e Formação Avançada [-]


Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Doutoramento Portugal Lisboa Bélgica Bruxelas Hungria Budapeste Estónia Tallinn Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte Edimburgo October 2017 +6 mais

A Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias é a maior Universidade Privada em Portugal e é parte integrante do subsistema particular e cooperativo do ensino superior Português.   O nome da Universidade deriva da expressão "Lusofonia" que designa o espaço cultural e linguístico comum demarcado pelo uso da língua Portuguesa. A Universidade Lusófona assume-se com a instituição responsável pelo desenvolvimento científico, cultural, social e económico deste espaço g… [+] eográfico e linguístico com mais de 200 milhões de habitantes.   A sociedade civil e os cidadãos em geral esperam que as Universidades e as instituições de ensino superior em geral sejam um dos polos centrais de desenvolvimento dos seus países e da sua cultura. No meio de constrangimentos e adversidades diversas, e de um enquadramento nacional a nível legal, económico e social nem sempre favorável, o ensino superior, e em particular o ensino superior privado, tem vindo a desempenhar de forma globalmente positiva este papel em Portugal ao longo dos últimos trinta anos.   A Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias conseguiu ao longo desse período afirmar-se como a maior instituição de ensino superior Portuguesa do subsetor particular e Cooperativo, parte integrante e vital do Grupo Lusófona, o Maior projeto de ensino de língua Portuguesa presente com estabelecimentos de ensino e formação em Portugal e em todos os países de língua portuguesa.   Hoje, a procura por uma formação de nível superior atinge níveis nunca verificados no passado e as instituições de ensino superior veem-se confrontadas com públicos cada vez mais variados e diversificados. Muitos destes estudantes representam públicos diferenciados, como os alunos maduros ou de origem estrangeira, que colocam às instituições novos e estimulantes desafios.   Paralelamente, as instituições de ensino superior sentem cada vez mais a necessidade de alargar a base de desenvolvimento das suas atividades, deixando de se centrar em exclusivo na produção e acumulação de conhecimento, para se preocuparem de forma mais ativa com a distribuição e circulação de conhecimento entre a rede de instituições e organizações que se reúnem em seu redor.   Assim, paralelamente aos alunos e professores, objetos únicos da atividade das Universidades no passado, as empresas e outras organizações surgem cada vez mais como um dos vértices centrais da atividade Universitária e um pilar nuclear do seu crescimento e sustentabilidade.   Massificação, internacionalização, inovação e empreendedorismo, são assim termos que passaram a fazer parte do vocabulário da vida das Universidades e que importa a cada instituição conseguir interiorizar nas atividades do seu dia-a-dia.   As transformações no perfil dos públicos-alvo das instituições têm sido acompanhadas por profundas mudanças nos modelos de ensino e formação, nomeadamente aquelas que resultaram da implementação da Declaração de Bolonha. Acima de tudo, hoje as instituições de ensino superior são chamadas a definirem claramente qual é que desejam que seja o seu papel na sociedade e qual a sua contribuição para o desenvolvimento social, económico e social da comunidade em que se inserem. A Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias tem como missão central contribuir através das suas atividades de ensino e investigação para o desenvolvimento científico, cultural, económico e social de Portugal e de todos os países onde se fala a língua Portuguesa. Em ordem à prossecução destes objetivos a Universidade desenvolve atividades de formação, investigação e prestação de serviços nas mais diversas áreas do conhecimento relevantes para a sociedade, e procura constantemente e de forma ativa constituir-se como um parceiro válido e imprescindível para todos aqueles que, como ela, acreditam que a formação superior e o conhecimento são os principais elementos impulsionadores do desenvolvimento e progresso da nossa sociedade. [-]


ISG Business & Economics School

Master Doutoramento Portugal Lisboa October 2017

ISG | Business & Economics Escola impõe-se desde 1978 como uma escola de referência no contexto do ensino de gestão em Portugal. Entre as escolas de negócios, o ISG projecto | Business & Economics School, destaca-se pela sua formação multidisciplinar inovador, adaptado às necessidades reais do mercado de trabalho. Em ISG | Business & Economics Escola, A educação para a gestão, tendo em conta os factores chave natureza profissional, integrando o conhecimento com a prática… [+] , eo rigor com a relevância, reflectindo os desafios complexos enfrentados pelos gestores no seu dia a dia. ISG | Business & Economics Escola centra a sua actividade no sentido de obter mais perto do ambiente de negócios, especialmente através de parcerias com empresas nacionais com grande base de implantação no mercado. ISG | Business & Economics Escola na geração de sinergias aposta para um ensino superior, sendo capaz de manter o foco no componente científica, a aplica a outras formas de conhecimento cada vez mais focados em know-how profissional e óptica. ISG está equipado com instalações educacionais modernas e funcionais caracterizam inegavelmente um dos mais generosos rácios de área / aluno do nosso parque universidade. [-]


Polytechnic of Leiria

Master Portugal Leiria October 2017

Comunidade do IPLeiria O IPLeiria é uma instituição pública de ensino superior que iniciou a sua atividade em 1980 e está presente na região de Leiria e Oeste através das suas cinco escolas superiores, localizadas nas cidades de Leiria (Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, Escola Superior de Tecnologia e Gestão e Escola Superior de Saúde), Caldas da Rainha (Escola Superior de Artes e Design) e Peniche (Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar). No… [+] s últimos anos, o número de alunos e professores do Instituto Politécnico de Leiria tem crescido consideravelmente. A instituição tem atualmente cerca de 12.000 alunos, 980 professores e 316 funcionários técnicos e administrativos repartidos pelas referidas Escolas Superiores. Num esforço de proporcionar sempre as melhores condições de ensino e aprendizagem aos seus estudantes, o IPLeiria tendo vindo a investir em instalações modernas e bem equipadas e a disponibilizar serviços de suporte de excelente qualidade ao nível do apoio social de base (bolsas de estudo, cantinas, restaurantes, residências, serviços médicos, parque de campismo e lazer), do apoio psicológico e psicopedagógico e ainda no que respeita ao acesso a amplos recursos documentais e bibliográficos (bibliotecas, B-on -Biblioteca Científica Digital). Quanto às atividades de I&D desenvolvidas, encontram-se distribuídas por 13 unidades de investigação e duas delegações no domínio das Artes, Educação, Ciências Sociais, Motricidade, Mecânica, Informática, Telecomunicações, Economia, Gestão, Turismo, Saúde e Recursos Marinhos. Destaca-se o Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado do Produto (CDRSP) que reputadamente tem desenvolvido investigação nas áreas da Engenharia Mecânica e de Tecidos, e que foi distinguido recentemente com ‘Excelente’ pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), bem como o Grupo de Investigação em Turismo (GITUR) e o Grupo de Investigação em Recursos Marinhos (GIRM). Que ofertas formativas? 50 Cursos de Mestrado acreditados 63 Cursos de Licenciatura 12 Cursos de Pós-Graduação 33 Cursos de Especialização Tecnológica Que áreas de conhecimento? [-]


University of Algarve

Master Portugal Faro September 2016

Por que escolher a Universidade do Algarve (UAlg)? A Universidade do Algarve (Portugal) é uma universidade pública jovens, com uma população estudantil perto de 9000 e emprega mais de 700 acadêmicos. Nestas últimas três décadas, a Universidade do Algarve tem consolidado o vínculo estabelecido com o negócio regional e com as organizações públicas e privadas, incentivando a transferência de conhecimentos e contribuindo para o desenvolvimento sustentável, com um impacto… [+] positivo em toda a comunidade. ensino Fundada em quatro campi, três na cidade de Faro e uma em Portimão, a Universidade do Algarve oferece cursos em seis áreas temáticas: Artes, Literatura e História; Ciências da Engenharia; Vida, Terra, Ciências Marinhas e Ambientais; Medicina e Ciências Afins; Social, Educação e Ciências da formação profissional; e Economia, Gestão e Turismo. Os estudos nessas áreas incluem cursos de graduação e pós-graduação graus (Mestre e PhD). Pesquisa Pesquisa da Universidade do Algarve é realizada em centros de pesquisa dinâmicas e proeminentes, que produzem inovação e valor acrescentado intensificar a investigação e desenvolvimento em diferentes áreas, como Ciências do Mar, Biologia e Biomedicina, Electrónica e Telecomunicações, literatura, história, Comunicações e Artes . Seus laboratórios estão abertos para o mundo, recrutando os melhores jovens investigadores nas várias áreas de investigação de excelência. Localização Localizado na parte sul de Portugal, uma das regiões mais turísticas de Portugal, a Universidade tem três campus universitários localizados em Faro (capital da região, com um aeroporto internacional, estádio de esportes, hospital central) e um em Portimão, segunda do Algarve cidade principal. Internacionalização Recentemente, tem havido um aumento significativo de estudantes estrangeiros de mais de 60 países, devido à estratégia de internacionalização da Universidade do Algarve. De sua população de 9.000 alunos, 10% são estudantes estrangeiros, dos quais cerca de metade são da Universidade de acordos bilaterais e programas de cooperação, principalmente Erasmus e Erasmus Mundus. A qualidade ea diversidade da European Masters e Doutorados, combinado com cursos de pós-graduação em aberto a estudantes de todo o mundo explicar a magnitude dessa mobilidade. instalações de apoio Todos os campi oferecem salas de aula específicas, de informática e multimédia laboratórios, auditórios, bibliotecas e salas de estudo e de reuniões. O acesso à Internet sem fio está disponível em todos os campi. Com alojamento em residências para mais de 600 alunos, várias cantinas e lanchonetes ao longo dos vários campi, serviços médicos e actividades culturais e desportivas, a Universidade do Algarve tem testemunhado um crescimento significativo em termos de população estudantil, instalações modernas ea qualidade e diversidade de programas em oferta. [-]


Instituto Piaget

Licenciatura Portugal Lisboa October 2017

História A história do Instituto está intimamente ligada ao percurso e ao trabalho do homem que dá nome a este universo, Jean Piaget. Uma evolução marcada pela adaptação, pelo interesse natural na dinâmica e na mudança das coisas e pelo seu estudo. Uma história que se define numa transformação por etapas para ser cada vez melhor. Constituído em 1979 como cooperativa sem fins lucrativos, denominando-se então “Cooperativa para o Desenvolvimento da Criança, SCRL”, assume a s… [+] ua actual denominação “Instituto Piaget - Cooperativa para o Desenvolvimento Humano, Integral e Ecológico, CRL.” anos mais tarde, fruto de um percurso onde se desenvolveram e implementaram diversos projectos de carácter pedagógico e social. O Instituto Piaget tem como principais objectivos proporcionar um ensino de qualidade, criar conhecimento e difundir valores humanos fundamentais para uma indispensável formação pessoal e intelectual de todos os seus agentes – docentes, estudantes, trabalhadores e cooperantes. No seguimento deste propósito, e procurando privilegiar a criatividade e a inovação, o Instituto Piaget tem vindo sistematicamente a reinvestir todos os seus excedentes na melhoria e aperfeiçoamento constantes do seu projecto educativo, e sempre no cumprimento rigoroso do Estatuto do Ensino Superior Particular e Cooperativo. Com estes princípios, a actuação do Instituto Piaget tem vindo a diversificar-se, abrangendo uma multiplicidade de áreas que vão da educação à investigação, passando pela acção de cariz social e pela implementação de projectos de desenvolvimento, tanto em Portugal como em países da CPLP e ainda, pela edição de livros. [-]


Universidade do Minho - Escola de Ciências da Saúde

Master Doutoramento Portugal Braga October 2017

A Escola de Ciências da Saúde é uma unidade orgânica recente da Universidade do Minho, criada para assegurar o ensino graduado, o ensino pós-graduado, a investigação e outros serviços especializados no âmbito das Ciências da Saúde. Fundada em 2000, a Escola de Ciências da Saúde (ECS) visa formar médicos e outros profissionais de saúde ao longo da vida. A ECS oferece um currículo de medicina, com um design de currículo inovador. Este currículo abrange os principais tóp… [+] icos em Medicina e segue uma perspetiva bio-psico-social integrada, de acordo com as recomendações da maioria das comissões Nacionais e Internacionais de educação médica. A Escola também garante educação de pós-graduação e de formação nas áreas das Ciências da Saúde e Medicina, bem como, um programa de cursos avançados, tendo em conta a formação ao longo da vida, mas também permitindo a acumulação de créditos para a obtenção de um grau formal. Para cumprir a sua missão, a ECS tem um corpo docente altamente qualificado e motivado, constituído por cerca de 80 membros, dos quais 50% são doutores e 70% são médicos, os quais são investigadores no Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde - ICVS). A ECS integra um instituto de investigação (ICVS) que engloba 3 principais domínios de investigação (Neurociências, Ciências Cirúrgicas e Microbiologia e Infeção) com mais de 200 investigadores, que já publicou cerca de 1000 artigos em revistas e jornais internacionais de fator de impacto relevante, desde 2003 (ano em que foi criado). O ICVS está associado a um parceiro estratégico, o Grupo de Investigação 3B’S - Biomateriais, Materiais Biodegradáveis ​​e Biomimética (3B’S). O Laboratório Associado ICVS/3B’S (LA) centra as suas atividades em Ciências da Saúde, nomeadamente em Biomedicina e Ciências Clínicas, em Ciências Biomédicas & Engenharia/Ciência dos Materiais e Engenharia (Biomateriais). Esta interface Ciências da Saúde/Tecnologia tem como objetivo gerar valor através do desenvolvimento de produtos e serviços inovadores, resultantes da investigação internacional altamente competitiva. Essa parceria resultou em várias empresas spin-off de desenvolvimento de dispositivos médicos e cirúrgicos e soluções de software. Em 2012, estabeleceu-se uma parceria do ICVS/3B com o Hospital de Braga com o Centro Clínico Acadêmico (2CA-Braga), uma organização sem fins lucrativos com foco na investigação, cuidados clínicos, educação e formação. O 2CA-Braga oferece uma gama completa de serviços de investigação clínica, com uma infra-estrutura de amplo espectro e com total apoio técnico a projetos de investigação, ensaios clínicos e estudos de validação de dispositivos médicos. Neste momento, o 2CA-Braga é responsável por 40% de todos os ensaios clínicos realizados em Portugal. [-]


Instituto Politécnico de Viseu – Escola Superior de Saúde (ESSV)

Licenciatura Master Portugal Viseu October 2017

A Escola Superior de Saúde de Viseu (ESSV) é uma Instituição de Ensino Superior Público integrada no Instituto Politécnico de Viseu, dotada de personalidade jurídica e de autonomia administrativa, financeira, científica e pedagógica e a sua organização e gestão rege-se pela Lei n.º 54/90, de 05 de Setembro, com algumas especificidades decorrentes do Decreto-Lei n.º 205/95, de 08 de Agosto. A ESSV, criada pela Portaria nº 216/2005 de 24 de Fevereiro, é herdeira da antiga Escol… [+] a de Enfermagem de Viseu criada em 1971 pela Portaria n.º 228/71 de 01 de Maio, reconvertida em Escola Superior de Enfermagem de Viseu pela Portaria n.º 821/89, de 15 de Setembro após a integração do ensino de enfermagem no sistema educativo nacional ao nível do ensino superior politécnico, como resultado da publicação do Decreto-Lei n.º 480/88, de 23 de Dezembro.A Escola rege-se pelos Estatutos aprovados pelo Despacho Normativo n.º 52/99, que contemplava a tutela conjunta dos Ministérios da Educação e da Saúde, publicado em Diário da República, I Série - B, n.º 257, de 04 de Novembro de 1999. Na sequência da Resolução do Conselho de Ministros n.º 140/98, de 04 de Dezembro e da Lei n.º 26/2000, de 23 de Agosto, a Escola transitou para a tutela exclusiva do Ministério da Ciência e do Ensino Superior. Face às alterações do seu enquadramento legal, os Estatutos encontram-se em fase de reformulação. A Escola iniciou a sua actividade em Outubro de 1974 com o Curso de Enfermagem Geral, que funcionou até 1992. Em Abril de 1990 iniciou o Curso Superior de Enfermagem - conferindo o grau de bacharel - aprovado pela Portaria n.º 299/90, de 12 de Abril, mais tarde alterado pela Portaria n.º 357/95, de 24 de Abril. Em Março de 1996, com os Cursos de Estudos Superiores Especializados (CESE) em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica e em Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica, aprovados pelas Portaria n.º 1137/95 de 15 de Setembro e Portaria n.º 1126/95 de 14 de Setembro, respectivamente, passou a conferir o grau de licenciado. Em Outubro de 1997 iniciou o CESE em Saúde Comunitária e em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica, aprovados pela Portaria n.º 544/97 e Portaria n.º 545/97, de 23 de Julho.Posteriormente, com a publicação do Decreto-Lei n.º 353/99, de 03 de Setembro foram fixadas as regras gerais do ensino de enfermagem no âmbito do ensino superior politécnico: formação geral em enfermagem através de Cursos de Licenciatura unietápica com a duração de 4 anos e formação especializada através de cursos de especialização de pós-licenciatura não conferentes de grau. O mesmo diploma aprovou também duas medidas de transição: O Ano Complementar de Formação para os estudantes que frequentavam à data o curso de bacharelato em enfermagem, aos quais permitiu alcançar a Licenciatura, e criou o Curso de Complemento de Formação o qual permitiu aos enfermeiros com o grau de bacharel o acesso ao grau de licenciado.O Curso de Licenciatura em Enfermagem e o Ano Complementar de Formação foram criados pela Portaria n.º 729/2000, de 05 de Outubro; o Curso de Complemento de Formação foi criado pela Portaria n.º 98/2000, de 22 de Fevereiro. Na ESSV o ano lectivo 2005-2006 foi decisivo para a implementação dos objectivos e da filosofia do Processo de Bolonha. Neste ano, foi reorganizado o plano de Curso de Licenciatura em Enfermagem e elaborado um plano de adequação, tendo por base o Decreto-Lei nº 42/2005 de 22 de Fevereiro, o Decreto-Lei nº 74/2006 de 24 de Março, alterado pelo Decreto-Lei nº 107/2008 de 25 de Junho e o Despacho nº 7287-B/2006 (2ª Série). Assim, nos termos dos artigos 63º e 64º do Decreto-Lei nº 74/2006 de 24 de Março e através do Despacho nº 16043/2006 (2ª série), de 30 de Junho, do Director Geral do Ensino Superior, publicado no Diário da República, 2ª Série, nº 147, de 1 de Agosto de 2006, foi registado com o número R/B-AD-761/2006, a adequação do Curso de Enfermagem ministrado pela Escola Superior de Saúde de Viseu, ao ciclo de estudos adequado ao processo de Bolonha. O Plano de Equivalências ao processo de transição, foi aprovado em reunião de Conselho Científico a 18 de Julho de 2007.Para além destes cursos, a Escola tem realizado cursos de pós graduação, não conferentes de grau académico. [-]


Instituto Politécnico de Viseu – Escola Superior Agrária (ESAV)

Licenciatura Master Portugal Viseu October 2017

A Escola Superior Agrária de Viseu (ESAV), criada oficialmente em 19 de Dezembro de 1994 (DL n.º 304/94), é uma das unidades orgânicas do Instituto Politécnico de Viseu, integrando-se na rede de ensino superior público português, ao nível do ensino politécnico. Assim deu-se continuidade à tradição, pois a Cidade de Viseu teve o privilégio de ser pioneira no Ensino Agrícola em Portugal através da criação da Escola Prática de Agricultura de Viseu, por Decreto de 16 de Dezembro… [+] de 1852. A ESAV pretende transmitir e divulgar o conhecimento, com vista à formação de estudantes com elevado nível de competências nas áreas das ciências agrárias, alimentares e veterinárias; promover a investigação aplicada e sua divulgação, o intercâmbio cultural, científico e tecnológico com instituições congéneres, nacionais e internacionais e o relacionamento com o tecido empresarial, de forma a contribuir para o desenvolvimento da região e do país. Assim, os objectivos da ESAV assentam em três vertentes: - Ensino de qualidade, através da transmissão de conhecimentos técnico-científicos constantemente actualizados e precisos, centrados na utilização de tecnologias fundamentais para a formação de estudantes nos domínios das produções agrícola e zootécnica, ecologia e paisagismo, florestal, biossistemas, indústrias alimentares e ainda da enfermagem veterinária. - Construção de elos de ligação com a comunidade, através de apoio técnico-científico, projectos, prestação de serviços, consultoria a empresas, organizações institucionais tanto a nível regional, nacional como internacional. Deste modo, podendo dar informações, transmitindo conhecimentos, mobilizando apoios e vontades, factos sem dúvida fundamentais para a integração da Escola no meio. A qualidade do ensino que ministramos, estimulada pelo sucesso da aplicação dos princípios da Declaração de Bolonha, demonstra bem esta realidade. - Desenvolvimento de actividades de investigação, experimentação e divulgação de conhecimentos nos domínios das ciências agrárias, alimentares e veterinárias, permitindo o avanço dos sectores de produção respectivos. Estas actividades são dinamizadas pelo corpo docente cada vez mais qualificado, estando permanentemente empenhado em contribuir para o sucesso educativo dos estudantes, sendo evidência desse facto a elevada percentagem de doutores. A ESAV localiza-se numa zona nobre da cidade de Viseu, na Quinta da Alagoa, com cerca de 23 hectares. Possuindo inúmeras culturas, destacando-se a vinha, o pomar e o olival. Contando ainda com estruturas de produção pecuária de ovinos, caprinos, bovinos, aves e coelhos, bem como um Centro de Enfermagem Veterinária e laboratórios, com tecnologias que permitem aquisição de competências em vários domínios técnico-científicos. Visando uma formação vocacionada para uma plena inserção na vida activa dos seus estudantes, a ESAV dispõe de um corpo de funcionários, docentes e não docentes, qualificado e motivado. Contribuem igualmente para o sucesso da ESAV os seus estudantes que com a sua vontade, disponibilidade e capacidade de trabalho permitem uma excelente colaboração na transmissão e aquisição de competências. [-]


Universidade do Minho - Escola Superior de Enfermagem

Licenciatura Cursos Certificate Mestrado em Ciências (MSc) Portugal Braga September 2016 +1 mais

A Escola Superior de Enfermagem da Universidade do Minho (ESE-UMinho) é uma unidade orgânica de ensino e investigação-UOEI de natureza politécnica que assegura o ensino graduado, pós-graduado, investigação e outros serviços especializados no âmbito da Enfermagem. É uma estrutura com órgãos e pessoal próprios através da qual a Universidade faz a afirmação da sua missão, na área do conhecimento da Enfermagem e domínios afins, com especial ênfase nas dimensões do ensino e da invest… [+] igação. Congrega recursos humanos e materiais adequados ao desenvolvimento das suas atividades pedagógicas, científicas e técnicas no âmbito de projetos autónomos ou em parceria com outras unidades, que se enquadrem na missão e objetivos da Universidade. Constitui uma referência nacional e internacional no Ensino da Enfermagem, tendo recebido o Prémio de Honra à Excelência Educativa em 2006, atribuído pelo Conselho Ibero-Americano em Honra da Qualidade Educativa. O ensino carateriza-se pelo rigor e pela exigência, sendo um ensino de proximidade, tutorado em permanência. Investir numa formação sólida de base que promova o desenvolvimento científico, técnico, cultural, pessoal e ético dos estudantes tem sido uma preocupação constante a par de um forte investimento na aposta da formação pós-graduada em Enfermagem. A Escola Superior de Enfermagem é membro da ALADEFE (Asociación Latinoamericana de Escuelas y Facultades de Enfermeria A.C.) desde setembro de 2012. A Escola Superior de Enfermagem recebeu em agosto de 2013, no México, o Prêmio Sapientiæ a Excelência Educativa, outorgado pela Organização das Américas para a Excelência Educativa (ODAEE), obtendo, mais uma vez, reconhecimento internacional pela demonstração e pelos interesses contínuos em brindar uma formação de qualidade em benefício da comunidade a que pertence. A Professora Maria Isabel Gomes Lage, atual Presidente da Escola Superior de Enfermagem, foi também galardoada, no âmbito do I CLIEEC, uma medalha condecorativa e respetivo diploma de Destaque na Gestão da Qualidade Educativa, que vem a ser “o justo merecimento à sua tenacidade profissional manifestada na direção de sua instituição acadêmica, por sua intencionalidade de estabelecer alianças profissionais e institucionais canalizadas a fortalecer o conhecimento e a experiência educativa; por sua sensatez no ato de coordenar a equipe administrativa e acadêmica de sua instituição e por sua valiosa participação nos diversos cursos e capacitações a nível internacional”, afirma o Dr. Ubaldo Meza Ricardo, Presidente da ODAEE. Recebeu ainda a medalha “El Flechador del Sol”, outorgada pela Universidad de Cuautitlán Izcalli e pela Organização das Américas para a Excelência Educativa, que representa o reconhecimento às ações que beneficiam significativamente o sistema educativo das nações, em virtude de sua destacada trajetória académica. A Escola Superior de Enfermagem da Universidade do Minho recebeu também, no dia 5 de dezembro de 2012, a Medalha Municipal de Mérito - Grau Ouro, atribuída pela Câmara Municipal de Braga, em reconhecimento do seu prestígio institucional. Em termos de oferta formativa, a ESE-UMinho possui a Licenciatura em Enfermagem, Mestrados em Enfermagem e em Enfermagem da Pessoa em Situação Crítica, Cursos de Pós-Graduação, Cursos de Pós-Licenciatura e Cursos de Curta Duração. missão e objetivos A Escola tem como missão gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito da Enfermagem e domínios afins assente na liberdade de pensamento e na pluralidade dos exercícios críticos, promovendo a educação superior e contribuindo para a construção de um modelo de sociedade baseado em princípios humanistas, que tenha o saber, a criatividade e a inovação como fatores de crescimento, desenvolvimento sustentável, bem-estar e solidariedade. O cumprimento da missão é realizado num quadro de referência internacional, com base na centralidade da investigação e da sua estreita articulação com o ensino, mediante a prossecução dos seguintes objetivos: a) A formação humana ao mais alto nível, nas suas dimensões ética, cultural, científica, estética e técnica, através de uma oferta educativa diversificada, da criação de um ambiente educativo adequado, da valorização da atividade dos seus docentes, investigadores e pessoal não docente e não investigador, e da educação pessoal, social, intelectual e profissional dos seus estudantes, contribuindo para a formação ao longo da vida e para o exercício de uma cidadania ativa e responsável; b) A realização de investigação e a participação com instituições e em eventos científicos, privilegiando a busca permanente da excelência, a criatividade como fonte de propostas e soluções inovadoras e diferenciadoras, bem como a procura de respostas aos grandes desafios da sociedade; c) A transferência, o intercâmbio e a valorização dos conhecimentos científicos e tecnológicos produzidos, através do desenvolvimento de soluções aplicacionais, da prestação de serviços à comunidade, da realização de acções de formação contínua e do apoio ao desenvolvimento, numa base de valorização recíproca e de promoção do empreendedorismo; d) A promoção de actividades que possibilitem o acesso e a fruição de bens culturais por todas as pessoas e grupos, internos e externos à Escola; e) O intercâmbio cultural, científico e técnico com instituições e organismos nacionais e estrangeiros, através da mobilidade de estudantes, docentes e pessoal não docente e não investigador, do desenvolvimento de programas educacionais e da investigação com base em parcerias, da contribuição para a cooperação internacional, com especial destaque para os países europeus e de língua oficial portuguesa, e da construção de um ambiente multilinguístico na Escola; f) A interacção com a sociedade, através de contribuições para a compreensão pública da cultura, da análise e da apresentação de soluções para os principais problemas do quotidiano, e de parcerias para o desenvolvimento social e económico, nos contextos regional, nacional ou internacional; g) A contribuição para o desenvolvimento social e económico da região em que se insere e para o conhecimento, defesa e divulgação do seu património natural e cultural; h) A contribuição para a promoção da sua sustentabilidade institucional e da sua competitividade no espaço global; i) A promoção do associativismo académico e, no quadro legal em vigor, o reconhecimento da Associação de Estudantes da Escola Superior de Enfermagem, doravante designada abreviadamente por Associação, que se rege por estatutos e regulamentos próprios, como organização que tem por missão representar os estudantes da Escola; j) A colaboração com a Associação nos termos determinados pela legislação aplicável, nomeadamente, proporcionando condições para a afirmação da actividade associativa; k) O acompanhamento dos ex -alunos através da criação de um observatório que dê continuidade ao intercâmbio científico e cultural e cooperação a diferentes níveis. [-]


Universidade do Minho - Escola de Ciências

Licenciatura Master Portugal Braga September 2016

A Escola de Ciências da Universidade do Minho foi criada em 1975, sendo uma Escola de referência no ensino e investigação nas diferentes áreas das Ciências Exactas e Naturais. Integra cinco Departamentos (Biologia, Ciências da Terra, Física, Matemática e Aplicações e Química) e conta com um corpo docente constituído por 191 membros, dos quais 184 são doutorados, dando resposta a uma estratégia de formação de recursos humanos altamente qualificados. A sua população es… [+] tudantil é de cerca de 1200 alunos, distribuídos pelas doze licenciaturas ministradas, e ainda cerca de 436 estudantes de Mestrado e Doutoramento. A Escola é também responsável pelo ensino de disciplinas de ciências básicas noutras licenciaturas da Universidade do Minho, envolvendo cerca de 930 alunos. A Escola de Ciências está implantada nos dois campi universitários. No campus de Gualtar, em Braga, localizam-se a administração central, assim como os Departamentos de Biologia, Ciências da Terra, Física, Matemática e Aplicações, Química e as correspondentes áreas de investigação, organizadas em Centros de Investigação. No campus de Azurém, em Guimarães, localizam-se também instalações dos Departamentos de Matemática e Aplicações, Química e Física, e as respectivas áreas de ensino e investigação. Os Departamentos da Escola de Ciências dispõem de infra-estruturas laboratoriais de qualidade, bem equipadas, que garantem um bom nível de formação dos estudantes e condições para o desenvolvimento da investigação. Através dos seus Departamentos e Centros de Investigação, a Escola promove ainda diversas actividades de extensão universitária, nomeadamente acções de formação, apoio técnico, prestação de serviços especializados e acções de divulgação da ciência e tecnologia. Estrutura Organizativa A Escola de Ciências é uma unidade orgânica de ensino e investigação da Universidade do Minho, que goza de autonomia científica, pedagógica, cultural e administrativa. Em termos de estrutura organizativa, a Escola é constituída pelos seguintes órgãos: Órgãos de Governo: Conselho de Escola Presidente Conselho Científico Conselho Pedagógico Conselho de Gestão Órgão de Consulta: Conselho Consultivo Aos órgãos de governo compete dirigir a Escola na sua actividade científica, pedagógica e de interacção com a sociedade, bem como assegurar o planeamento e a gestão administrativa e financeira da Escola Compete ao conselho consultivo pronunciar-se sobre matérias de carácter pedagógico, científico ou de interacção com a sociedade que lhe sejam colocadas pelos órgãos de governo da Escola A Escola estrutura-se em subunidades orgânicas, que correspondem aos departamentos e centros de investigação: Departamentos: Departamento de Biologia Departamento de Ciências da Terra Departamento de Física Departamento de Matemática e Aplicações Departamento de Química Centros de Investigação: Centro de Biologia Molecular e Ambiental Centro de Ciências da Terra Centro de Física Centro de Investigação Geológica, Ordenamento e Valorização de Recursos Centro de Matemática Centro de Química Os departamentos são subunidades orgânicas permanentes de criação e transmissão do conhecimento no domínio de uma disciplina, de um grupo de disciplinas ou de grupos afins de disciplinas, constituindo, como tal, a célula base de organização científico-pedagógica e de gestão de recursos num domínio consolidado do saber. Os departamentos congregam recursos humanos e materiais associados ao ensino graduado e pós-graduado, de apoio ao desenvolvimento científico e tecnológico e à divulgação da cultura, nos domínios que lhes são próprios, partilhando os recursos com os centros de investigação associados e com outras subunidades orgânicas com quem estabelecem projectos conjuntos. A actividade científica e de desenvolvimento tecnológico, no âmbito da Escola, é realizada em centros de investigação. Os centros promovem e desenvolvem projectos de investigação, reunindo actividades de natureza científica ou científico-tecnológica, que visam objectivos bem definidos, de duração limitada e de execução programada no tempo. [-]


Universidade de Ciências Aplicadas de Castelo Branco

BSc Portugal Castelo Branco October 2017

O Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) é uma instituição pública de ensino superior, cuja cultura institucional se caracteriza pela riqueza proveniente da diversidade e singularidade próprias de cada uma das seis escolas que o constituem, Agrária, Artes Aplicadas, Educação, Gestão, Saúde e Tecnologia. O desenvolvimento do IPCB, que assenta em pilares claramente identificados no seu plano estratégico, caracteriza-se pela exigência de elevados níveis de qu… [+] alidade, internacionalmente reconhecidos. Para além de adotar as normas da European Association for Quality Assurance for Higher Education (ENQA) e as recomendações da European University Association (EUA), o Instituto Politécnico de Castelo Branco tem o seu Sistema de Gestão de Qualidade certificado pela norma ISO 9001:2008. Apesar dos resultados alcançados, importa que esses níveis de exigência sejam reforçados e visíveis nas várias vertentes da missão da Instituição, porque esse é o único caminho para a consolidação do IPCB, desafio que põe à prova cada um de nós individualmente e toda a comunidade académica coletivamente: docentes, estudantes, não docentes e agentes externos. A disponibilização de um leque alargado de ofertas formativas, ao nível graduado e pós-graduado, a forte ligação ao mundo empresarial, educativo, social e cultural, a estreita articulação com o mercado do trabalho, a transferência de conhecimento e tecnologia e a estratégia de internacionalização, são apostas que garantem aos nossos diplomados uma formação integral, através da aquisição e desenvolvimento de competências científicas e técnicas, linguísticas, relacionais e culturais, preparando-os assim para responderem de forma competitiva às solicitações de um mercado de trabalho sem fronteiras, mas proporcionando-lhes também condições para poderem vir a desenvolver a sua própria atividade, através de incentivos à criatividade e ao empreendedorismo. A disponibilização de programas de aprendizagem ao longo da vida permite, ainda, aos que já são possuidores de formação superior ou que já estão inseridos no mercado de trabalho, a adaptação necessária aos novos desafios e às novas exigências. Conhecemos a dimensão dos desafios e temos consciência plena do papel e da responsabilidade do IPCB no futuro do país e no desenvolvimento da região. Mas assumimos essa condição e o compromisso de liderar este projeto ao serviço do conhecimento e das pessoas. Sejam bem-vindos ao Instituto Politécnico de Castelo Branco! [-]


AESE Escola de Direccao e Negocios

Cursos Portugal Lisboa Porto October 2017

A AESE - Escola de Direcção e Negócios, a 1ª Escola de Negócios em Portugal, é uma iniciativa da Associação de Estudos Superiores de Empresa, constituída a 3 de Outubro de 1980, por 23 sócios fundadores*.   Missão A AESE é instituição de utilidade pública, sem fins lucrativos, que se propõe dar formação específica em direcção… [+] e gestão de empresas, segundo uma perspectiva cristã do homem e da sociedade.     Visão A AESE visa (trans)formar os dirigentes de empresas portuguesas, desenvolvendo os seus conhecimentos em gestão e aperfeiçoando a capacidade de tomada de decisões capazes de gerar mudança.     Parceria A AESE conta com a colaboração científica permanente do IESE (Universidade de Navarra), uma das mais antigas Business School da Europa (1958) e uma das primeiras do ranking mundial.     Formação integral A AESE promove uma aprendizagem integrada, tendo em conta o desenvolvimento profissional e pessoal de todos os alunos. O enfoque dado ao ser humano, colocando-o no centro da dinâmica empresarial, reflecte a convicção de que o objectivo dos empresários e dirigentes deve ser o de servir as pessoas e a sociedade.   A AESE tem muito gosto em receber a sua visita e mostrar como o pode ajudar a alcançar os seus objectivos profissionais e pessoais.     29 anos a formar Líderes Desde 1980, a AESE realizou: * 33 edições do PADE, Programas de Alta Direcção de Empresas, em Lisboa * 9 edições do PADIS, Programas de Alta Direcção para Instituições de Saúde, em Lisboa e no Porto * 38 edições do PDE, Programas de Direcção de Empresas, em Lisboa e no Porto * 6 edições do Executive MBA AESE/IESE, em Lisboa * Vários Seminários * Vários Sessões de Continuidade   [-]